Erva-doce

A erva-doce é hortaliça de textura suave e peculiar aroma que actualmente é considerada uma verdura selecta.

Denominação

É conhecida com o nome comúm de erva-doce ou anís, mas seu nome científico ou em latim é Foeniculum vulgare. Pertence à família das Apiaceae, entre as que também se encontra o aipo, a cenoura e o perifólio.

Origem

Se tem constancia do uso da erva-doce no antigo Egito. Se utilizava como alimento, mas especiamente como planta medicinal cujo uso foi se extendendo junto com o império romano chegando aos países da bacia do mediterrâneo. Sua utilização foi crescendo até a Idade Média, quando suas propriedades e consumo se expandiram no resto da Europa. Posteriomente os espanhóis divulgaram sua utilização aos novos territórios da América. Portanto a erva-doce actualmente é consumida em todo o mundo.

Variedades

  • Erva-doce de Florencia ou Erva-doce doce: é a variedade de erva-doce que mais se cultiva na bacia do mediterrâneo, especialmente em primavera.
  • Erva-doce Armo: de bulbo grosso e branco.
  • Erva-doce Carmo: de bulbo redondo, liso e branco.
  • Erva-doce Pollux: redondo e de grande tamanho.
  • Erva-doce Genio: é de tamanho médio r se caracteriza por ter um bulbo redondo e firme.

Qual é seu aspecto?

  • Cor: o bulbo é esbranquiçado, o talo verde claro e as folhas de cor verde brilhante.
  • Forma: da erva-doce se consome o bulbo que pode ser redondo, alongado ou ovalado, embora que geralmente é preferível bulbos redondos.
  • Tamanho: o bulbo de erva-doce tem normalmente um diâmetro de 10-15 cm, embora a planta pode chegar a medir até 1 m de altura.
  • Peso: o peso de um bulbo de erva-doce depende da variedade dela e do compacto que seja.
  • Sabor: o sabor é muito parecido com o do aipo, mas um pouco mais intenso.

Modo de preparação e uso

  • Cru: apetitoso comer os bulbos frescos na salada, temperados com azeite e limão.
  • Cozido: podem ser cozidos ao vapor ou fervidos como o resto das hortaliças. Combina muito bem com a batata e podemos acrescentar bechamel ou queijo derretido.

Quando as podemos encontrar e em que condições?

Começaremos a encontrar erva-doce no final de outono, inverno e primavera. É uma planta que não suporta bem o excesso de valor, pois no verão será dificil encontrar exemplares de erva-doce de qualidade.

O melhor exemplar e sua conservação

O exemplar de erva-doce de maior qualidade será aquele cujo bulbo seja esbranquiçado, grosso, arredondado e compacto, seu talo firme e suas folhas de cor verde brilhante.

Deve-se conservar no frogorifico em recipiente de plástico perfurado ou papel, até que seja consumido.

Características nutritivas

A erva-doce é uma hortaliça com um valor energético escasso que apenas podem chegar a fornecer até 31 kcal/100g. Falamos de uma hortaliça com um teor em água importante, ao igual que a maioria de hortaliças (90%). Seu teor em carboidratos é considerável (4,19%), sendo muito destacável seu teor em fibras (3,1%). Contém certa quantidade de proteínas 1,24% e quantidades quase inapreciáveis de gordura (0,2%).

Minerais: é de se destacar o elevado teor em potássio, sendo este encontrado em maior proporção na erva-doce. Mas além disso podemos citar outros minerais que encontrem em quantidades muito importantes, quase tanto como o potássio: magnésio, ferro, cálcio e fósforo.

Vitaminas: em quanto ao fornecimento de vitaminas, a erva-doce é uma das hortaliças com maior teor em vitamina C, sempre e quando se consuma fresca. Por outra parte destaca a grande quantidade de ácido fólico que podem chegar a conter. E além das anteriores contém vitaminas B1, B2, niacina, B6, e vitamina A.

 

Em que nos pode ajudar?

A erva-doce forma parte da nossa alimentação desde há séculos, precisamente por sua conhecida acção medicinal. Algumas destas propriedades mediciais atribuidas a erva-doce são:

  • Dispepsia (más digestões): apresenta uma potente acção tonificante dos processos digestivos. Se recomenda especialmente na digestão, falta de apetite e a flatulência.
  • Prisão de ventre: está indicado naqueles individuos que padecem de prisão de ventre devido a uma deficiente motilidade do intestino.
  • Hipocolesterolemiante: papresenta quantidades importantes de vitamina C, ácido oleico, cálcio e magnésio, reduzindo os níveis de colesterol no sangue, prevenindo o desenvolvimento de doenças cardiovasculares.
  • Antioxidante: seu alto teor em vitaminas, especialmente a vitamina C, e certos aminoácidos, a erva-doce pode ser considera um dos melhores antioxidantes.
  • Diurético: devido a sua composição tem a capacidade de facilitar a produção de urina.

E se abusamos do uso?

É especialmente problemático se é tomado em grandes doses o azeite essencial de erva-doce, podendo produzir certo efeito narcotizante e problemas respiratórios, alucinações, convulsões e arritmías cardíacas.

Além do seu elevado teor em iodo, é recomendável restringir seu consumo no caso de hipertiroidismo.

E que mais?

É uma planta com um alto teor em azeites essenciais, o que faz destacável para a extração de matérias básicas que posteriormente se utilizam na indústria na realização de perfumes ou medicamentos.