Ervilhas

A ervilha é um alimento muito apreciado especialmente pelas crianças. Sua difusão e uso alcança níveis mundiais. Suas principais qualidades beneficiosas para a saúde, se concentram à nível cardiovascular.

Denominação

É conhecido com o nome comúm de Ervilhas, mas seu nome científico ou em latim é Pisum sativum. Pertence à família das Leguminosas, entre as que também se encontram as favas e vagem.

Origem

O homem sempre cultivou a ervilha desde muito tempo, onde foi encontrado restos carbonizados de sementes nos lugares neolíticos (7.000 a.C.). Seu uso na Europa é relativamente recente, sendo introduzida desde Palestina ou Egito nas regiões orientais européias do mediterrâneo, área que é considerada como seu principal centro de diversificação. No entanto, é muito antigo seu uso nas zonas rurais da Índia, de onde foram introduzidos na China. Até o século XVI a ervilha foi usada como grão seco e como folhagem, e a partir desse momento, começou a ser usado o grão fresco.

Variedades

As variedades de ervilha dependem da forma e cor da semente, do tamanho e da precocidade da planta:

  • Negret: planta pequena, bainha ligeiramente curvadas, grão redondo com superficie lisa mas com covinhas.
  • Aureola: planta anão, grão redondo liso com covinhas.
  • Lincoln: altura média, bainha suavemente curvada, grão cilíndrico e enrugado.
  • Voluntario: altura média, bainha suavemente curvada, grão oval, liso com covinhas.
  • Asterix: altura média, bainha suavemente curvada com a extremidade truncada, verde escura, grão cilíndrico enrugado.
  • Allegro: ciclo precoz, planta altura média, grão redondo liso com covinhas.
  • Telefone: grão ovalado enrugado de tamanho grande porque as bainha tem um grande desenvolvimento, sobretudo nas plantas de pequeno tamanho.
  • Televisão: bainha curvada com extremidade em ponta, cor verde escuro, grão irregular oblongo e de casca enrugada.
  • Tirabeque: espanhol, se come bainha e grão: bainha muito curvada e longa, grão grosso oval liso com covinhas; também chamado "capuccino".
  • Mangetout: de bainha amarela.

 

Qual é seu aspecto?

  • Cor: a ervilha são de cor verde brilhante.
  • Forma: a forma das ervilhas depende da variedade dos mesmos. Encontraremos ovais ou esféricos.
  • Tamanho: tem um tamanho aproximado de 0,5 cm de diâmetro.
  • Peso: uma ervilha chega a pesar somente duas gramas.
  • Sabor: tem um sabor leve, cujos matizes dependem da variedade.

Modo de preparação e uso

  • Cruas: a ervilha pode ser consumida cria sempre e quando esteja tenra.
  • Cozidas: o tratamiento ideal que podemos submeter a ervilha, é um escaldado rápido ou um cozimento ao vapor, já que se cozinham durante mais de 10 minutos, perderám a maior parte de suas vitaminas.
  • Congelados: é um dos produtos de origem vegetal que melhor se comercializam. Permite aumentar considerávelmente a vida útil do alimento. Se consome depois de um breve cozimento.
  • Secos: se conservam durante longos periodos de tempo, mas perdem a maior parte da vitamina A e C.
  • En conserva: são produtos que normalmente se consomem diretamente, sem nenhum processo culinário, uma vez aberto o recicipiente. Contém uma menor quantidade de vitaminas, entre um 15 e um 30% menos que a ervilha fresca.

Quando as podemos encontrar e em que condições?

Encontraremos ervilhas em qualquer época do ano. Considerando que além de ser um dos produtos mais fácilmente se comercializam, é a ervilha congelada.

A ervilha é um culvito de clima temperado e um pouco humido. A planta se congela com temperaturas por baixo de 3 ou 4ºC baixo 0, e para seu crescimento quando as temperatus são menores de 5 ou 7ºC. Seu crescimento é óptimo a temperaturas entre 16 e 20ºC, estando no minimo entre 6 e 10ºC o máximo em mais de 35ºC.

 

O melhor exemplar e sua conservação

Para adquirir ervilha de qualidade este devem ter as seguintes características: os grãos devem ser frescos, bem formados, saudáveis, ou seja, extintos de danos causados por insetos e/ou doenças, e corretamente desenvolvidos.

A ervilha fresca devem ser conservadas no frigorifico à temperaturas aproximadas de 3ºC, durante uns poucos dias. Ao contrário, a ervilha congelada podem ser armazenadas durante semanas, sem que tenham modificações na sua composição e qualidade sensorial.

 

Características nutritivas

A ervilha é uma hortaliça com um valor energético considerável, que pode chegar a fornecer até 81 kcal/100g. Falamos de uma hortaliça com um teor em água relativamente baixa em comparação com outras hortaliças (79%). Seu conteúdo em carboidratos considerável (13,1%), sendo muito destacável seu teor em fibras (5,1%). Contém uma quantidade importante de proteínas 5,9% e quantidades quase inapreciáveis de gordura (0,5%).

Minerais: seu teor mineral é destacável, podendo chegar a supor o 0,9% do seu peso total. Destacaremos o ferro, o fósforo e o potássio por ser os minerais que se encontram em quantidades muito importantes, quase tanto como as anteriores: magnésio, zinco e cálcio. Mas além disso podemos citar outros minerais que se encontram em quantidades muito importantes de tais minerais, quase não contendo sódio, o que faz suas qualidades sejam ainda mais destacáveis.

Vitaminas: em quanto ao fornecimento de vitaminas, a ervilha é uma das hortaliças com maior teor em vitamina C, sempre e quando se consome fresco. Por outra parte destaca a grande quantidade de ácido fólico que pode chegar a conter. E além das anteriores contçem vitaminas B1, B2, niacina, B6, e vitamina A e E.

 

Em que nos pode ajudar?

A ervilha forma parte da nossa alimentação desde há séculos, mas não precisamento pela sua acção medicinal, senão pelo seu valor nutritivo, como alimento de fornecimento energético considerável. Mesmo assim podemos destacar alguns efeitos beneficiosos sobre a saúde da ervilha são:

  • Problemas cardíacos: devido ao seu escasso conteúdo em sódio e gordura, e a elevada quantidade de potássio e contém a ervilha podem ser consideradas cardio-saudáveis. É conveniente sua utilização na dieta de individuos que parecem insuficiência cardíaca, degeneração do músculo cardíaco, angina de peito, etc.
  • Diabete: embora seu teor em carboidratos é considerável, eles são de assimilação lenta (amido) o que facilita o controle da glucínio(níveis de glicose no sangue).
  • Gravidez e amamentação: devido ao seu alto teor em potássio, outros minerais, vitaminas e proteínas (especialmente se é combinado com o consumo de ervilha e com cereais), seu uso é recomendável especialmente para gestantes e crianças em fase de amamentação.
  • Trastorno do sistema nervoso: a ervilha é rica em vitamina do complexo B e minerais necessários para o correto funcionamento do sistema nervoso. É aconselhável seu consumo no caso de fragilidade nervosa, irritação, depressão e insónia.

 

E se abusamos do uso?

No momento não é conhecido efectos tóxicos derivados de um consumo excessivo de ervilha. Mesmo assim, não devemos esquecer que tudo debe ser utilizado com certa medida, e que uma dieta equilibrada não é somente a que fornece todos e cada um dos nutrientes, senão que além disso deve ser variada em quanto aos alimentos que formem parte dela.

E que mais?

As proteínas de origem vegetal tem um valor biológico menor que as de origem anima. As proteínas presentes nas leguminosas são deficientes em certos aminoácidos. Mas se consumimos à vez leguminosas e cereais conseguimos compensar esta deficiência de aminoácidos. Portanto comendo cereais e leguminosas no mesmo prato, conseguiremos um fornecimento proteico muito importante e de qualidade, com um fornecimento escasso de gorduras saturadas e sódio, e uma quantidade de fibra e potássio.