09Jul.

Desde pequeninos conformamos nosso paladar

desde pequeñitos conformamos el paladar86

Quando nascemos nos alimentamos de leite materno ou de mamadeiras que nos preparam.

Depois começamos a consumir purés; primeiro de verduras, e a medida que vai passando o tempo, incorporamos novos sabores como as carnes, os peixes e os ovos. Mas tudo é sem gosto, pois prescindimos do sal e dos temperos.

Assim vamos experimentando todos os alimentos, um atrás dos outros, de acordo com nosso pequeno estômago vai se desenvolvendo e nos vai permitindo a introdução dos alimentos cada vez mai completos.

A partir do momento que completamos os dois anos, e admitimos práticamente todo tipo de preparações, começam os problemas

As vezes são as crianças, que sempre se excusam dizendo "eu não gosto disso", "que nojo", "isto eu não quero", e infinitas frases para evitar todo aquele alimento que não convencem seus olhos.

Em outras ocasiões, somos os pais que por comodidade, por falta de tempo, costume ou preparação, começamos a simplificar as comidas diárias.

Normalmente começaremos abusando da comida preparada e das frituras e esqueceremos incluir na nossa dieta, as verduras e hortaliças. Se esta situação se prolonga, a criança se acostuma aos sabores muito mais saborosos que proporcionam esse tipo de alimentos e não comerão verduras, pois devemos reconhecer que elas tem um sabor um pouco insípido e muito natural para o paladar que mal acostumamos.

Se pensamos um pouco, enquanto nosso paladar experimenta as gorduras, sobretudo as gorduras animais, se acostuma rapidamente ao seu sabor e sente na hora uma rejeição por todos os pratos que sejam menos saborosos e suculentos.

Por isso, desde que as crinças começar a comer de tudo, não podemos descuidar que cada prato, seja qual seja seu gênero, sempre deve estar acompanhado de uma variedade de hortaliças, de preferência frescas, embora que as verduras em conserva e as congeladas nos darão um grande jogo na hora de combinar-las com qualquer elaboração que fizermos.

Desta forma, conseguiremos que não desassociem tanto os sabores, e se acostumem a comer de tudo.

Não devemos esquecer que uma boa guarnição sempre é um complemento para o prato principal, e não existe melhor acompanhante para uma carne, um peixe, um arroz, um macarrão, um prato á base de ovos, etc, que uma hortaliça. Não somente pelo seu fornecimento de sabor, aroma e cor, se não pelo mais importante, por todos aqueles nutrientes que têm e que de outra maneira nosso corpo será capaz de recebe-los, pela impossibilidade de que sejam sintetizados.

Um bom exemplo de tudo que comentamos, seria colocar um filé á milanesa acompanhado de umas batatas e umas cenouras de Bonduelle salteadas levemente com um pouquinho de azeite de oliva e salsa.