07Jul.

Diversidade alimentar segundo as culturas

A diversidade na alimentação é importante para ter uma dieta equilibrada. Deve haver variedade nos alimentos que consumimos para tal ser possível. Como acontece noutros aspectos, a cultura e hábitos de cada local, lar ou indivíduo influencia um determinado tipo de alimentação

Cada país tem a sua dieta e a sua cultura alimentar, e os alimentos que se consomem variam consoante estes hábitos alimentares. Por um lado, dependendo da alimentação de cada sítio, são usados uns produtos mais do que outros. Por exemplo, a dieta mediterrânica foi sempre caracterizada por usar o alho como ingrediente base. Na cultura índia são usadas diferentes especiarias e na oriental o produto protagonista é o arroz.

A diversidade alimentar foi crescendo com o tempo. Alguns alimentos chegaram às nossas cozinhas há relativamente pouco tempo. A batata demorou mais de três séculos a chegar à dieta mediterrânica desde que a trouxeram da América. O tomate, o pimento e o milho também são americanos e a beringela, a alcachofra e os espinafres vieram do mundo árabe. Todos estes alimentos, juntamente com as suas culturas, fazem com que a variedade seja mais extensa no que se refere à alimentação.

De todos os modos, normalmente a selecção de alimentos é feita relativamente à acessibilidade e quantidades que se podem colher dependendo dos meios que houver. Embora também se deva ter em conta que em cada cultura mudam os alimentos que se consomem, algumas usam alimentos que noutras são recusados (cavalo, caracóis, rãs...).

Outra das características da cultura na alimentação é a maneira de cozinhar os produtos. Em cada população, e mesmo em cada casa, cozinha-se de uma maneira ou de outra. Um alimento pode ser elaborado de diferentes formas, por exemplo frito, cozido, assado... Também mudam os hábitos no que se refere às horas das refeições ou à companhia em que se fazem.

A diversidade alimentar está ligada à cultura e a Bonduelle quer transmitir esta variedade aos nossos pratos e receitas