Milho

O milho é um cereal que foi introduzido na Europa há apenas uns séculos e que, no obstante, agora é imprescindível na nossa alimentação.

Denominação

É conhecido com o nome comúm de Milho doce, Choclo, Elote, mas seu nome científico ou latim é Zea mays var. saccharata. Pertence à família botânica das Poaceae.

Origem

O milho é originário do continente americano. Chegou a Europa com as primeiras viagens de Colombo. Posteriomente seu cultivo foi se expandindo pelas regiões de clima temperado do resto do mundo.

Variedades

  • Milho doce.
  • Milho de farinha.
  • Milho de corteza dura.
  • Milho dentado.
  • Milho arrebentador.

Qual é seu aspecto?

  • Cor: apresenta uma cor amarelo vivo e brilhante.
  • Forma: o milho é encontrado em forma de sabugo, e ela é alongada, embora os grãos se apresentam uma forma achatada.
  • Tamanho: a planta pode alcançar dos 2 metros de altura, o sabugo uns 10-30cm de longitude e o grão de milho uns 5-10 mm de diâmetro.
  • Peso: o grão milho pesa somente umas gramas, enquanto o sabugo pode pesar uns 500g.
  • Sabor: têm um sabor suave ligeiramente doce.

Modo de preparação e uso

  • Milho doce tenro: pode ser consumido directamente do sabugo depois de uma leve cozimento ou assado sobre brasas.
  • Milho doce em conserva: tanto enlatado como congelado, o milho em conserva é uma das formas mais comúns de ingerir este alimento
  • Farinha integral de milho: mantém muita das propriedades nutritivas do grão de trigo. Com a farinha de milho se elaboram muitos pratos típicos como são as tortinhas de milho ou a polenta.
  • Sêmola: es una harina más fina que la integral pero con cualidades nutrtivas reducidas ya que carece de germen y salvado.
  • Flocos de milho: são preparado amassando e tostando os flocos de milho, onde se perdem boa parte do seu teor em vitaminas. Se utilizam geralmente em forma de cereais de café da manha.
  • Pipoca de milho: a pipoca é uma forma original e divertida de consumir este cereal. Se elaboram a partir de uma variedade de milho cuja camada exterior é muito mais resistente. Ao esquenter os grãos de milho se forma vapor de água no seu interior que finalmente quebra a casca, saindo seus componentes ao exterior.
  • Maizena: a maizena é uma farinha de milho refinada e sem gordura, onde têm um valor energético e nutritiva menor que o milho.

Quando as podemos encontrar e em que condições?

Actualmente podemos encontrar a maioria das formas de milho em qualquer época do ano, mas o milho fresco no sabugo será próprio dos meses de junho, julho, agosto e setembro.

Se trata de um vegetal de estação quente, pelo que pode ser cultivado em qualquer horta com luz e espaço suficiente em sua temporada de cultivo.

O melhor exemplar e sua conservação

O melhor exemplar de milho fresco será aquele de cor amarelo vivo e brilhante, cujo sabugo esteja inteiro e sem danos físicos aparentes.

Ao conter relativamente pouca água, o milho é um alimento que pode ser conservado muito tempo sem que perca propriedades. Dependendo da apresentação final do milho, ele terá uma vida útil mais ou menos longa e em diferentes condições ambientais.

Características nutritivas

O milho é um produto vegetal com um valor energético relativamente importante, que alcança aproxidamente as 86 kcal/100g. Tem apenas um 76% de água na sua composição. A gordura supõe um 1,2% e as proteínas podem chegar a superar o 3%. Os hidratos de carbono se encontram numa proporção muito importante, chegando a supor o 16% do peso total de milho.

Minerais: do seu teor mineral destacaremos o potássio, o fósforo e o magnésio, por ser o que se encontram em maior proporção no milho. Mas además podemos citar outros minerais que se encontram em quantiades destacáveis, como são: o ferro o zinco.

Vitaminas: em quanto o fornecimento de vitaminas, vamos encontrar quantidades significativas de todas, exceto de vitamina B12. Destacamos folatos por ser a vitamina que em maior proporção é encontrada, seguidas em ordem decrescente da vitamina B1, niacina, vitamina B2, B6, vitamina A e E.

 

Em que nos pode ajudar?

O milho não é um alimento que tenha uma longa tradição cpmo alimento ou planta medicinal, embora, desde seu descobrimento, se use diariamente na nossa alimentação. Por isso vamos lhe contar algumas propriedades saudáveis que foram atribuidas ao milho, como são:

  • Patologias intestinais: o milho na maioria das suas formas de consumo têm um efeito suavizante e protetor da mucose intestinal. O consumo do milho é recomendável especialmente em pessoas que padecem de dispepsia, colón irritado, colite crónicas...
  • Celiaquía: é um dos poucos cereais que pode ser consumidos por um celíaco, que não contém glútem.
  • Cálculos renais crónicos: o grão de milho têm um leve efecto diurético e em relação a seu fornecimento uma quantidade reduzida de proteínas, pelo que seu consumo resulta adequado na dieta de doentes de cálculos renais.
  • Hipercolesterolemia: a salva presente na camada externa do milho, é capaz de diminuir a absorção de colesterol a nível intestinal, favorecendo o controle dos níveis de colesterol plásmatico.
  • Hipertiroidismo: o milho têm um leve efeito lento do metabolismo e da glândula tiróide, pelo que é recomendável seu consumo nos casos de hipertiroidismo.
  • Obesidad: las patatas resultan útiles en el tratamiento de la obesidad debido a su efecto saciante. Pero siempre teniendo en cuenta que nos referimos a las patatas cocidas o asadas no fritas ni gusadas con alimentos grasos.
  • Desnutrição e perda de peso: pelo seu alto teor calórico, o milho é um alimento recomendável nas dietas para ganho de peso.
  • Diurético: Tradicionalmente, os ‘’pelinhos’’ do milho (os denominados “estigmas”) se utilizavam para realizar infusões de efeito diurético. Foi recomendado desta forma, portanto, no tratamento da hipertensão.
O milho não é um alimento que tenha uma longa tradição cpmo alimento ou planta medicinal, embora, desde seu descobrimento, se use diariamente na nossa alimentação. Por isso vamos lhe contar algumas propriedades saudáveis que foram atribuidas ao milho, como são:

E se abusamos do uso?

No momento se desconhece os efeitos tóxicos derivados de um consumo excessivo de milho. Mesmo assim, não devemos esquecer que tudo deve ser utilizado com certa medida, e que uma dieta equilibrada não é somente a que fornece todos e cada um dos nutrientes, senão que além debe ser variada em quanto aos alimentos que formem parte dela.

E que mais?

O milho é um alimento pobre em certos aminoácidos essenciais, ou seja, para completar a dieta seria conveniente ingerir o milho junto com legumes, ricos em aminoácidos que faltam no milho, ou simplesmente, com carne, ovos ou peixes.

Em épocas de fome e penúria, quando muitas populações se alimentavam quase exclusivamente de milho, extendeu uma doença denominada pelagra (etimológicamente signifnica “pele áspera”) como consequência de uma deficiência nutritiva de niacina.

A deficiência não se produz porque o milho seja pobre em niacina, senão porque a niacina é bem pouco bio-disponível ao se encontrar está unida a distintas substâncias como os carboidratos e os compostos fenólicos. Estes complexos se quebram por esquentamento no meio alcalino, liberando a niacina. No sistema tradicional de elaboração na América Central e no actual México, o milho se preparava no meio alcalino (é a nixtamalização, cujo nome provém do náhuakt nextli, ou cinzas de cal, e tamali, massa de milho cozido), onde se coze o milho na água junto com o cal.